Escolha uma Página

Reverbs e Delays: Aprenda como usar corretamente na Mixagem

Você sabe usar os Reverbs e Delays na Mixagem? Veja esse artigo e aprenda a forma correta de usar esses efeitos na sua mix para não errar mais.

Já falamos bastante sobre Mixagem por aqui e, nesse processo, uma das etapas indispensáveis é a ambientação, geralmente feita por Reverbs e Delays. Afinal, ninguém gosta de ouvir um áudio seco e bruto, não é mesmo?

A ambientação dá um clima legal à música, causa a sensação de que a música está fazendo parte do espaço que ocupamos. Ao mesmo tempo, a ambientação nos dá a sensação de estarmos dentro da música.

Por essa razão, dedicamos esse post aos Reverbs e Delays, para que você aprenda a usá-los corretamente na sua Mixagem. Assim, tudo vai soar mais bonito e agradável para você e para os ouvintes do seu trabalho.

A inserção dos Revebs e Delays acontece, geralmente, ao final da Mixagem de cada elemento da música. Após equalizar e comprimir cada instrumento, ou a voz, criamos a ambientação adequada para esses itens, ou para todos eles de uma vez.

Sendo assim, para que você não fique perdido no assunto, criamos um guia completo sobre Mixagem, para você dominar de vez essa arte. Recomendamos que você leia esse guia para compreender melhor o que falaremos nesse post. Mas, não deixe de voltar aqui.

Bom, agora vamos aos Reverbs e Delays, que são o assunto desse post. Para usá-los corretamente na Mixagem, é importante que você entenda como esses efeitos funcionam. Por isso, vamos falar sobre eles separadamente.

O Reverb – A reflexão e propagação do som

Plugin de reverb

O Reverb é um efeito sonoro natural que ocorre por meio da reflexão do som no ambiente. Por exemplo, quando gritamos em uma sala vazia, a onda sonora viaja pelo espaço e é refletida pelas paredes e retorna para os seus ouvidos.

Assim, o que você ouve é o som da sua voz com todas essas reflexões, que dependendo do tamanho do espaço, podem demorar mais para se dissipar. Isso dá à reverberação um decaimento maior.

Antigamente, o Reverb ouvido na música era captado do próprio ambiente, com microfones colocados em pontos estratégicos da sala de gravação. Dependendo do tipo de reverb desejado, era necessário ter uma sala enorme, com materiais reflexivos específicos para atingir ao objetivo.

Com o surgimento da tecnologia, a reverberação passou a ser produzida artificialmente, o que facilitou muito o processo de Mixagem. Primeiramente, foram desenvolvidos equipamentos analógicos para reproduzir os Reverbs. Mais tarde, com o nascimento dos Plugins VST’s, Reverbs e Delays passaram a estar a um clique.

Tipos de Reverbs – Principais opções para a Mixagem

Tipos de reverb

Vamos falar rapidamente sobre os tipos de Reverbs que passaram a estar disponíveis a partir de equipamentos analógicos e Plugins VST. É importante mencionar que esses efeitos foram desenvolvidos a partir de ambientes reais.

No entanto, a tecnologia facilitou a experimentação com novos elementos ressonadores. Isso proporcionou a criação de efeitos mais específicos de Reverbs que passaram a ser usados de maneira mais específica para cada elemento da música.

Na prática, os Reverbs mais comuns são os que reproduzem a ambientação natural. Os tipos mais conhecidos são os Room Reverbs, Hall Reverbs e Chamber Reverbs. Esses tipos específicos se referem à ambientação de Sala, Salão ou pátio e Câmara, respectivamente.

Os Room Reverbs (Reverb de sala) são comuns em Studio, com ambiente controlado. Já os Hall (Reverbs (Salão, pátio etc) são produzidos em grandes salões, como Igrejas, por exemplo. Por fim, os Chamber Reverbs (São produzidos em ambientes com paredes mais densas e rígidas, como grutas e cavernas.

Para reproduzir essas sonoridades, foram desenvolvidos os Reverbs de mola (Spring), placas (Plate) e os algorítmicos (Emuladores de reverb). Mais tarde, os Plugins VST’s passaram a reproduzir todos os tipos possíveis de Reverbs e a combiná-los, danso ainda mais opções na hora da Mixagem.

Para você entender ainda mais sobre os Reverbs, temos um artigo interessante que fala mais detalhadamente sobre esses efeitos e ainda sugere 3 Plugins de Reverb grátis para você baixar e experimentar na sua Mixagem. Vale a pena ler também.

Delays – O elemento mais divertido da ambientação na Mixagem

Delay

Os Delays podem ser considerados um elemento muito divertido na hora de realizar a Mixagem. Isso se dá porque esse é um efeito que possibilita uma variedade bastante grande combinações e sonoridades.

O Delay nada mais é do que um atraso na reprodução do som. Quem nunca teve vontade de gritar na entrada de uma caverna só para ouvir o “eco” repetindo o seu grito? Então, isso ocorre por que o som, ao se propagar no espaço e ser refletido, demora um tempo para chegar de volta aos ouvidos.

O efeito final é o que chamamos de eco. Assim como é divertido ouvir nosso próprio grito retornando da caverna, também é muito agradável ouvir alguns elementos específicos da música sendo repetidos estrategicamente na música.

O instrumento que usa os Delays com mais frequência em uma música é, sem dúvidas, a guitarra. É difícil, hoje em dia, ouvir um solo de guitarra em que não haja um pouco de delay, mesmo que bem discreto.

No entanto, os Delays podem ser usados em qualquer elemento da música, até na voz. A repetição de alguns trechos deixa o clima mais agradável e faz com que o ouvinte assimile mais a sonoridade, ou as palavras, na mente.

Basicamente, os Delays trabalham com a repetição atrasada do som. Mas, isso não significa que não haja variedades de Delays. Os atrasos podem ser programados para seguir a batida do metrônomo obedecendo ao compasso da música. Dessa forma, o produtor pode ter o tipo de Delay que quiser, basta usar a criatividade.

Reverbs e Delays na Mixagem – A forma correta correta de usar

Reverbs e Delays na Mixagem

Juntando os Reverbs e Delays a alguns outros efeitos, criaremos a ambientação da música. Esse processo deve ser feito com muita cautela e sensibilidade. Afinal, se exagerarmos em algum desses efeitos, ou não os ajustarmos corretamente, podemos estragar todo o trabalho feito durante a Mixagem.

Para que a ambientação fique agradável, é necessário ter em mente qual clima queremos criar para a música. Reverbs Mais profundos, combinados a Delays mais lentos dão um clima mais pesado e sombrio à música.

Uma combinação mais leve, com reverbs mais suaves e curtos, unidos a Delays um pouco mais baixos e acelerados, criam um ambiente de show ao vivo. Existem muitas outras formas de ambientar a música durante a Mixagem. Basta usar a criatividade e experimentar bastante.

Esses efeitos podem ser aplicados diretamente em cada track, criando uma ambientação específica para cada instrumento e para a voz. No entanto, pode-se também criar uma ambientação geral para a Mixagem, adicionando os Reverbs, Delays e outros efeitos a tracks de receiver.

Adicionando os efeitos em cada uma das tracks

Reverbs e Delays na track

Essa é a maneira mais comum de se usar os Reverbs e Delays na Mixagem. Desse modo, adiciona-se os efeitos em cada uma das tracks desejadas, criando uma ambientação específica para cada instrumento.

Isso é muito comum quando se quer usar um tipo de reverb diferente para cada instrumento. Por exemplo, pode-se colocar um reverb de mola na guitarra, simulando o som de amplificadores analógicos mais vintage.

Ao mesmo tempo, coloca-se um reverb de sala para a voz ou para instrumentos acústicos. Assim, a ambientação vai se construindo track a track. O resultado final pode ser muito agradável, mas é bastante trabalhoso. Por isso, é necessário mais tempo e paciência para criar e deixar tudo no mesmo nível.

Do contrário, os efeitos podem bagunçar o resultado final da Mixagem. Isso, pode gerar desanimo e tirar o estímulo de continuar produzindo. Mas, com o cuidado certo e muito treino, é possível ter ótimos resultados com essa técnica. Afinal, esse é o processo mais usado de ambientação na Mixagem.

Criando tracks de receivers para os efeitos

Tracks de reverbs e delays

Nesse método, o principal objetivo é criar uma ambientação comum para música como um todo. Dessa forma, temos a sensação de que todos os instrumentos foram tocados no mesmo espaço e ao mesmo tempo, como em um show ao vivo.

Esse processo é muito simples e pode ser realizado ao final de toda a Mixagem, depois de equalizar, comprimir e adicionar outros efeitos de tratamento de áudio a cada uma das tracks.

Primeiramente, cria tracks separadas e adicione os Reverbs e Delays a cada uma delas. O ideal é utilizar uma track para cada efeito e você já vai entender por que. Dessa forma, você pode usar tipos diferentes de Reverbs e Delays sem que os efeitos se misturem.

Após criar as tracks e adicionar o tipo de Reverb e Delay desejado a cada uma delas, vamos simplesmente enviar o sinal de cada instrumento que quisermos colocar na ambientação. Depois de rotear o sinal das tracks dejesadas, basta ajustar o volume de sinal que queremos para cada track.

Dessa forma, controlamos a quantidade de efeito que haverá em cada instrumento. No entanto, todos soarão dentro da mesma ambientação. O clima ficará muito mais coerente e agradável.

Conclusão

Os reverbs e Delays são elementos embelezadores da Mixagem. Como qualquer maquiagem, devem ser utilizados na medida certa para não esconder a beleza natural da música.

Em qualquer um dos métodos apresentados acima, a principal técnica a ser aplicada é o cuidado. Ouvir várias vezes com muita atenção para evitar os exageros, pois eles sempre atrapalham. Resumindo, não importa qual método você vai utilizar, a sensibilidade e o cuidado devem ser empregados.

Essa é a forma correta de usar os Reverbs e Delays, e qualquer outro efeito, na Mixagem. É importante treinar bastante para aprender de forma eficiente. O conhecimento é a chave para odesenvolvimento de qualquer atividade.

Por falar em conhecimento, uma forma rápida de adquirir é buscando quem já tem experiência e esteja disposto a ensinar. Dessa forma, o aprendizado acontece de forma mais natural e duradoura.

O professor Marcio Mourão é essa pessoa. Ele desenvolvel vários cursos completos com aulas práticas que estão disponíveis no Portal da Produção. São 19 cursos que vão desde a Produção Musical até a Mastarização.

Você ainda irá aprender a usar ferramentas como o Reaper, a DAW mais completa da atualidade, e Plugins como Waves e T-Racks, líderes mundiais em Plugins VST.

Navegue pelo site do Portal da produção e tenha, também, acesso a conteúdos gratuitos que já farão diferença nas suas produções. Não perca essa oportunidade de evoluir.

A Netflix do Produtor Musical

Conheça o Portal da Produção, a plataforma online com todo o que você precisa para ganhar dinheiro como produtor musical