fbpx
Escolha uma Página

Mixagem Analógica ou Digital? Conheça os Prós e Contras

Você sabe as diferenças entre Mixagem Analógica e Digital? Nesse post mostraremos os prós e contras de cada forma de Mixagem para você escolher a sua.

Você já deve ter ouvido falar sobre Mixagem Analógica e Mixagem Digital. Mas, será que você sabe quais as diferenças entre elas? E para você, seria melhor a Mixagem analógica ou digital? Para esclarecer as dúvidas e te ajudar a decidir, vamos falar sobre os prós e contras de cada modalidade de mix.

A Mixagem é um processo delicado que exige muito domínio de técnicas, um ouvido apurado e uma série de equipamentos ou Plugins VST. Pode-se dizer que a Mixagem é a maquiagem da música, pois visa deixá-la mais bela e minimizar os possíveis defeitos.

Sobre esses defeitos, não estamos falando de uma música mal feita, com arranjos ruins ou mal executados. Nesse caso, falamos de problemas inevitáveis, como ruídos, vazamentos de áudio, ou seja, pequenos deslizes entre outras coisas que podem atrapalhar um pouco.

Para que você entenda tudo sobre a Mixagem, antes de entender as diferenças entre Mixagem analógica e digital, criamos um guia completo que vai ajudá-lo a dominar a arte da Mixagem. Leia clicando aqui.

Depois de você ler o nosso guia e entender tudo sobre o processo de Mixagem de áudio, vamos voltar ao tema desse post, os prós e contras de cada modalidade de Mixagem. Lembrando que não estamos afirmando que um ou outro é melhor ou mais eficiente.

O que queremos com esse conteúdo é que você entenda qual modalidade é mais vantajosa para você. No entanto, temos que lembrar que para ambas você precisa de conhecimento e investimento.

Analógico VS Digital – Quais as diferenças afinal?

Analógico vs digital

Bom, a resposta para essa pergunta é até meio óbvia. A Mixagem analógica é realizada por meio de equipamentos físicos, certo? Errado. Ter um equipamento físico não significa que a Mixagem é analógica.

O analógico vai além do físico. Existe uma variedade de equipamentos físicos que trabalham de forma digital. Um exemplo são as mesas de som digitais, que estão cada vez mais populares no mercado do áudio. Um bom modelo a ser citado aqui é a Mesa Behringer X32.

Resumindo, a Mixagem analógica é realizada por meio de equipamentos com funcionamento analógico, como mixers transistorizados, valvulados, equalizadores gráficos e compressores de válvulas. Enfim, equipamentos que não usam processamento digital de qualquer tipo.

A Mixagem digital, por sua vez, trabalha de forma inversa. Nessa modalidade, são usados os consoles digitais, processadores eletrônicos e o trunfo dos Home Studios, os Plugins VST.

Um detalhe importante sobre os consoles digitais é que eles trabalham com o mesmo princípio dos Plugins, embora tenham um corpo físico com knobs e faders de verdade à disposição do operador.

Sendo mais direto, a Mixagem digital se dá por meio de emulações. São sons produzidos de forma digital para simular o que os equipamentos analógicos produzem. Sendo assim, podemos dizer que são meios diferentes que buscam o mesmo fim, uma faixa de áudio agradável aos ouvidos.

Agora que já sabemos as diferenças, vamos falar de cada uma das formas de realizar a Mixagem. Assim, você poderá tirar suas próprias conclusões sobre qual modalidade adotar.

Mixagem Analógica – O som puro e real dos equipamentos de áudio

Mixagem analógica

Como falamos anteriormente, a Mixagem analógica é realizada por meio de equipamentos de áudio analógicos. Esses equipamentos existem desde os primórdios da produção de áudio e foram evoluindo e sendo aprimorados com o tempo e a tecnologia.

É importante ressaltar que existem muitos tipos de equipamentos analógicos, entre eles os transistorizados, valvulados e os híbridos, que usam os dois componentes juntos. Cada tipo de equipamento foi desenvolvido de acordo com as necessidades de sua época.

No entanto, hoje em dia, a escolha por cada tipo de equipamento se dá mais pela preferência de cada engenheiro de áudio ou produtor, já que a tecnologia atual oferece tudo o que o produtor precisar, com muito mais facilidade.

Prós – Por que optar pela Mixagem analógica?

A primeira vantagem de optar pela Mixagem analógica é, sem dúvida, o som real, puro, sem simulações ou reproduções. O som produzido por equipamentos analógicos foi, por muito tempo, a única opção dos studios.

Porém, hoje existem opções muito mais simples de se chegar a um bom som. Então, por que ainda mixar analógicamente?

Simples, na Mixagem analógica não há dúvidas. Cada equipamento utilizado realiza sua função e ponto final. Não há espaço para adequações esdrúxulas, ou seja, é aquilo e pronto. Quem opta por uma Mixagem analógica já sabe o que quer e, dificilmente, está aberto a experimentações.

Outro ponto positivo da mix analógica é a certeza de que tudo está soando bem antes mesmo de gravar. Os equipamentos estão ligados todos antes de o sinal chegar na DAW. Assim, a mix pode ser feita no início e o áudio já ser gravado soando lindamente.

Contras – As desvantagens dessa forma de Mixagem

Sem dúvida o maior ponto negativo em escolher a Mixagem analógica é o valor dos equipamentos. Montar um studio 100% analógico custa muito, mas muito caro mesmo. E isso piorou com as mudanças tecnológicas, devido ao purismo de alguns engenheiros de áudio.

Hoje em dia, ter um studio analógico é sinônimo de qualidade e eruditismo, como tocar música clássica em meio a músicos populares. As facilidades oferecidas pelo mundo digital trouxe consigo um preconceito que encareceu os equipamentos, sobretudo os mais antigos.

Sendo assim, ter um compressor valvulado hoje em dia é como possuir um carro clássico, ou seja, privilégio de poucos que podem pagar.

Outro problema dos analógicos é o espaço que eles ocupam. Sendo assim, se você pretende montar um pequeno Home Studio em um cômodo da sua casa, saiba que essa modalidade não é para você.

Resumindo, realizar Mixagem analógica é algo caro e incomodo, se você não tem um studio profissional com muitos recursos.

Mixagem Digital – Um infinito de possibilidades ao alcance de um clique

Se tem uma coisa que o avanço tecnológico trouxe foi facilidade. Imagina ter todos os equipamentos necessários dentro do computador ou ter todos os efeitos desejados no mesmo console. É algo até dificil de acreditar.

Mas, é totalmente possível. O mundo digital veio para facilitar o acesso ao som de equipamentos dos mais variados tipos e épocas. Desde os antigos gravadores de fita aos renomados amplificadores e consoles de processamento de áudio.

Os processadores digitais e Plugins VST são recursos que foram criados com base nos equipamentos analógicos, em sua maioria. Isso significa que o som é o mesmo dos equipamentos? Sim e não.

Obviamente o som dos Plugins digitais será muito próximo dos reais, mas estamos falando de uma simulação. Isso não significa que a sonoridade é inferior. Em alguns casos é o contrário. Porém, os ouvidos mais apurados sentem a diferença, mesmo que mínima.

Prós – Quais as vantagens da Mixagem Digital?

Bom, já falamos uma grande vantagem da mixagem digital logo acima, a facilidade. Se você quer adicionar uma equalização ou uma compressão ao seu som, basta arrastar o plugin e fazer a configuração desejada.

Outra coisa muito fácil de se fazer nessa modalidade de mix é a mudança de ordem dos equipamentos. Na modalidade analógica, você teria que desplugar os equipamentos e plugar novamente e isso dá muito trabalho.

Mas, sem dúvida, as duas maiores vantagens do digital são preço e espaço. Não que um pacote completo de Plugins VST ou um processador digital sejam algo tão barato. Mas, certamente custam muito menos do que um monte de equipamentos analógicos.

Por exemplo, um pacote completo com Plugins da Waves custa em média R$ 2.800,00, enquanto um compressor LA2A sozinho, no Mercado Livre, custa R$ 22.900,00. Nem precisa fazer mais comparações desse tipo.

Quanto a espaço, você só precisa ter um bom HD no seu computador e tudo está resolvido. Se você optar por equipamentos físicos digitais, ainda precisará de muito menos espaço do que precisaria para ter um studio analógico.

Contras – Por que é ruim mixar digitalmente?

Aparentemente, não existem pontos negativos em mixar de maneira digital. No entanto, existem alguns pontos negativos também. Afinal, nem tudo são flores.

O primeiro problema quando se opta por realizar a Mixagem digital é a infinidade de recursos que se tem. Embora isso pareça uma vantagem, e é, ter muitas ferramentas à mão pode fazer você se perder. Assim, o que era pra ser fácil se torna muito complicado.

Em um studio analógico, cada equipamento cumpre sua função na cadeia. Já com os Plugins, e a necessidade de cada um deles se mostrar mais funcional que os concorrentes, um compressor pode ser limiter, saturador, side chain e mais um monte de coisas.

Dessa forma, se você não tem o domínio de cada uma dessas funcionalidades, vai se atrapalhar muito na hora de mixar seu som.

Outro grande problema dos recursos digitais, sobretudo os virtuais, é o peso no processamento. Para que um plugin tenha uma sonoridade fiel, ele precisa de muitas waves do equipamento original, além de programação, ambiente virtual etc.

Tudo isso ocupa muito espaço e exige muito do processador de qualquer computador. Por isso, se você não tiver uma máquina poderosa, vai ter muitos problemas.

Unindo as duas modalidades para um som híbrido

studio híbrido

Alguns produtores e engenheiros de áudio mais ousados tiveram a brilhante ideia de unir o analógico ao digital. Isso é totalmente aceitável, já que ambas as modalidades de Mixagem tem o mesmo objetivo.

A forma mais usual de juntar as duas formas é usando equipamentos básicos analógicos, como gates e compressores, complementando com efeitos digitais. Essa é uma forma de acelerar o processo, pois as correções de dinâmica e a limpeza do áudio são realizadas antes da gravação.

Depois disso, é só fazer o tratamento para embelezar o áudio, com os efeitos digitais, como equalizadores, reverbs delays entre outros. Com isso, mostramos que dá pra unir o útil ao agradável, tendo o belo visual de um studio analógico, mesmo discreto, e a funcionalidade dos recursos digitais.

Outro recurso recém desenvolvido para quem trabalha com Plugins VST e quer ter a sensação de estar em um studio analógico são os controladores MIDI. Com eles, você tem a sensação de estar trabalhando com um equipamento real, enquanto controla seus Plugins favoritos.

A CM-Midi é a pioneira no Brasil a produzir esses controladores de forma personalizada para você controlar o plugin que mais sabe usar, como se estivesse usando um equipamento analógico de verdade.

Considerações finais

Bom, agora você já sabe as vantagens e desvantagens, tanto da Mixagem analógica quanto da digital. Basta só decidir de qual forma deseja trabalhar e começar a produzir.

É importante reforçar que, sem o conhecimento necessário, não adianta ter recursos, sejam eles analógicos ou digitais. Não aprender a usar o que se tem é o pior erro para qualquer pessoa.

Então, não importa se você tem um grande studio profissional ou um Home Studio no seu quarto. Aprender a trabalhar com áudio é essencial.

Para isso, o Portal da Produção oferece vários cursos completos que irão ajudá-lo a ter excelentes resultados, desde a gravação até à masterização. Tudo isso com um investimento totalmente acessível. São 19 cursos focados nas etapas da produção de áudio, como gravação, Mixagem, Masterização e muitos outros.

Além disso, oferecemos muitos conteúdos gratuitos, como packs de plugins, aulas e outros materiais, para você já ter uma amostra do que vai aprender sendo assinante do Portalda Produção. Não perca essa chance.

Quer aprender mais?

Acesse a Sessão Gratuita do Portal com conteúdos exclusivos totalmente grátis por tempo limitado…

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *